quarta-feira, 15 de maio de 2019

CAPITÃO WAGNER SOBRE GOVERNO BOLSONARO: "NÃO ADMITO SER CHAMADO DE MENTIROSO"

Deputado federal pelo Pros e um dos aliados de Jair Bolsonaro (PSL) no Ceará, Capitão Wagner disse na tribuna da Câmara nesta quarta-feira que o governo federal “criou o boato” de que o contingenciamento dos recursos da educação estaria suspenso.
Os partidos do presidente estavam presentes (à reunião com Bolsonaro no Planalto), e vem a líder do Congresso e diz que é boato. Quem foi que criou o boato?”, questionou o parlamentar, referindo-se à deputada Joice Hasselmann (PSL). Foi o governo, que voltou atrás e depois voltou atrás de novo. Recuou duas vezes.”
Wagner era um dos deputados que estavam reunidos com Bolsonaro no fim da tarde desta terça-feira (14), quando o plenário da Câmara aprovou a convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que terá de dar explicações na Casa sobre os cortes na verba para manutenção das instituições de ensino. A audiência está marcada para as 15 horas, na Câmara.
Ao Blog Política, o deputado do Pros disse ter testemunhado telefonema do presidente da República para Weintraub logo depois de aprovada a convocação.
Bolsonaro determinou, relatou Wagner, que o ministro suspendesse o corte e convocasse uma coletiva de imprensa para anunciar a decisão.
O relato do cearense foi confirmado por Delegado Waldir, também deputado e líder do PSL na Câmara, que narrou o mesmo episódio no plenário.
Horas depois, no entanto, a Casa Civil e o MEC desmentiram a história. Pelas redes sociais, Hasselmann escreveu que se tratava de “boato barato”.
Wagner então foi à tribuna. “Com todo respeito que tenho ao presidente em quem eu votei, eu não admito ser chamado de mentiroso”, defendeu-se.
Espero que os demais parlamentares que estavam na reunião, amanhã (quinta), possam indagar ao ministro da Educação se ele recebeu uma ligação telefônica do presidente”.
O deputado acrescentou: “Porque ou o ministro está mentindo ou o presidente não ligou pra ele. Será que o presidente forjou a ligação na nossa frente? Tenho certeza que não”.
O congressista admitiu ainda ter dito para Bolsonaro que “ou o presidente assume a liderança dessa nação de fato ou nós vamos ter um problema grave de falta de condução desse país”.
E finalizou: “Eu disse na cara do presidente e dos demais deputados que estavam batendo cabeça – tá batendo cabeça o PSL, tá batendo cabeça a família do presidente, tá batendo cabeça esse guru lá dos Estados Unidos que fica atrapalhando”.
Postado por Tadeu Nogueira às 12:32h
Com informações do DN

4 comentários:

Zé Maria disse...

Não precisa nem ter oposição, os próprios apoiadores não se entende ,isso não é nada bom para nacao Brasileira ,com uma crise em começo de governo o pobre e que vai sofre mais ,com falta de dinheiro circulando no País.

Maria disse...

Rss

Maria disse...

Presidente ping pong

Maria disse...

Meus que medo que eu estou ainda 3 anos e meio de bolsonaro sera que vamos virar uma venezuela