sábado, 19 de julho de 2008

V FESTIVAL DE MÚSICA DA IBIAPABA

Começa hoje em Viçosa do Ceará o V Festival de Música da Ibiapaba. Durante uma semana, quase 800 estudantes estarão respirando música, através das oficinas do festival. Com toda a programação gratuita, o evento este ano se consolida como primeiro projeto do Norte e Nordeste centrado na formação em música popular brasileira e mantém uma intensa programação artístico-pedagógica, reunindo músicos, professores, estudantes de música, arte-educadores e artistas convidados. Dessa forma, cumpre seu objetivo de transformar a cidade em um laboratório vivo para vozes e instrumentos. Este ano a Coordenação Pedagógico-Artístico é formada por professores dos cursos de Música da Universidade Estadual do Ceará - UECE, CEFET-Ce e docente de escolas de música da capital. São eles: Marcos Maia (instrumentista, mestre em práticas interpretativas na UNICAMP-SP e professor da UECE), Lucile Horn (bacharel em Piano na UECE, especializada em Musicoterapia pelo Conservatório Brasileiro de Música RJ e professora do CEFET-CE.) e Angelita Ribeiro (pedagoga, graduada em Música pela UECE, formada em Flauta-Doce, fundadora do grupo Syntagma, atualmente dirige sua própria Escola). Do Ceará e de outros estados brasileiros seguem os 25 professores, convidados a ministrar as quase 50 oficinas que compõem a programação pedagógica do Festival. São aulas de violão, piano, bateria, prática de conjunto, orquestra de acordeãos e percussão, sopro, técnica vocal, harmonia, arranjo, regência, nos níveis médio e avançado. Será um encontro intensivo dedicado ao estudo da rica diversidade de expressão da música brasileira, com foco na música popular.
Fonte: Ceará Agora
Lá vou eu: No caso de alguém de Camocim querer ouvir música de qualidade, a dica é essa de Viçosa, a assessoria de lá funciona, portanto, você, funcionário da prefeitura (que não é a população toda como deixa transparecer algumas pessoas), pegue parte do salário que você recebe em dia e conheça Viçosa e de quebra aprenda a tocar instrumentos musicais, ouça a boa música e curta o visual da serra, tudo isso gratuitamente.

Um comentário:

fernandoveras2003 disse...

Pois é Tadeu. Adoro festivais, menos das bandas de forro ou da Bahia ou ainda para político corrupto mentir nos palcos. Quando Guaramiranga optou por acabar com o carnaval e fazer um festival de jazz muita gente torceu o nariz. Ficou provado que é só planejar que qualquer evento sai bem sucedido e em qualquer cidade. Concordo que falte planejamento e prioridade para a realização de festas com dinheiro público. Quanto a falta de divulgação de setores da prefeitura vamos reclamar a quem de direito. Quem responde pela assessoria de imprensa? Eu, e muita gente prefere que a prefeitura se ocupe mais com obras de infra-estrutura para num futuro podermos receber milhares de turistas sem destruir e sobrecarregar a cidade como acontece em Aracati e Beberibe.
Isso leva tempo.