. CAMOCIM ONLINE: CASO GLEYDSON: ACUSADO DA MORTE TEM LIBERDADE NEGADA PELA JUSTIÇA
E-mail tadnogueira@hotmail.com
Telefones (88) 99603-4531 (88) 98814-0779
Endereço Rua Zeferino Veras, 301 - Centro Camocim - Ceará - Brasil CEP 62.400-000

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

CASO GLEYDSON: ACUSADO DA MORTE TEM LIBERDADE NEGADA PELA JUSTIÇA

FRANCISCO PEREIRA FOI
PRESO EM MARTINÓPOLE POR
HOMICÍDIO  TRIPLAMENTE QUALIFICADO
 Um dos acusados de participar do homicídio do Radialista Gleydson Carvalho teve seu pedido de liberdade negado, na terça-feira (23), em sessão da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará. O reú Francisco Pereira da Silva está preso desde dezembro do ano passado, apontado como um dos financiadores da morte do radialista. 
Francisco Pereira foi denunciado por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e mediante a recurso que dificulte a defesa da vítima) e A defesa entrou com pedido de habeas corpus para que o acusado respondesse em liberdade, alegando falta de fundamentação na decretação da prisão e excesso de prazo na formação da culpa.  
No entanto, o relator do processo, desembargador Mário Parente Teófilo Neto, salientou que a prisão de Francisco Pereira está devidamente fundamentada na garantia da ordem pública. " As circunstâncias do fato comprovam a especial gravidade do delito atribuído ao acusado e seus comparsas, revelando sua periculosidade ao meio social”. O magistrado destacou ainda que a liberdade dele colocaria em risco a segurança das testemunhas. 
No argumento de excesso de prazo, o magistrado entendeu que “o feito vem tramitando regularmente, sem qualquer excesso de prazo, considerando a multiplicidade de réus”.
No mesmo dia, a 1ª Câmara Criminal negou outro habeas corpus em favor de Francisco. No pedido, a defesa requereu a prisão domiciliar dele. Alegou que o acusado está com a saúde debilitada por ser portador de diabetes e hipertensão arterial.
Para o desembargador Mário Parente, relator também desse processo, não ficou demonstrado “nos autos, a extrema debilidade do paciente em razão da diabetes e hipertensão arterial, razão pela qual não há como se conceder a ordem pleiteada”. Recomendou ainda que a Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará transfira o réu para uma unidade prisional em que ele possa receber cuidados médicos adequados. Francisco Pereira da Silva foi preso em no dia 2 de dezembro, na cidade de Martinópole. 
Ele é apontado nos depoimentos como sendo um dos financiadores da morte do radialista. Até o momento, 6 pessoas envolvidas no crime foram presas, porém, um dos pistoleiros e o mandante, com prisões decretadas pela justiça, continuam foragidos. 
Gleydson Carvalho foi friamente executado, segundo consta em documento do Ministério Público, por ter denunciado supostos desmandos da administração municipal de Martinópole. Ele deixou esposa e duas filhas pequenas. 
Postado por Tadeu Nogueira às 15:16h
Com informações do TJCE

0 comentários: