terça-feira, 6 de junho de 2017

MARINHA COGITA DESATIVAR FARÓIS DE CAMOCIM, BITUPITÁ E JERI

A Marinha do Brasil está avaliando a possibilidade de desativar alguns faróis da costa cearense, dentre eles, na jurisdição da Agência da Capitania dos Portos de Camocim, o de Camocim, conhecido como Farol do Trapiá (foto), Bitupitá e o de Jericoacoara, localizado no Morro do Serrote, acima da famosa Pedra Furada. 
A ideia de desativação, segundo a Marinha do Brasil, decorre do crescimento populacional na costa do estado, o que favoreceu ao navegante uma grande visibilidade noturna e boa orientação, acompanhado de apoio tecnológico, com a utilização de equipamento GPS. 
Em ofício enviado à Colônia de Pescadores Z1, de Camocim,  ao qual tivemos acesso, o Capitão-Tenente Henrique Pereira, Comandante da Agência da Capitania de Camocim, perguntou se os referidos auxílios à navegação são empregados como orientação para a navegação de cabotagem.
Em resposta, o Presidente da Colônia, Francisco Xavier, se disse surpreso e preocupado quanto à possibilidade de desativação do centenário farol de Camocim. Segundo ele, aproximadamente 90% das embarcações pesqueiras de Camocim e região são artesanais, de propulsão à vela, não dispondo de equipamentos eletrônicos. 
Ainda segundo ele, para dificultar, a "boca da barra", juntamente com os canais que dão acesso à cidade estão demasiadamente assoreados. Disse ainda que não existe edificação que ofusque os lampejos tão necessários do Farol do Trapiá. Francisco Xavier completa afirmando que uma pane do farol resulta em acidentes com embarcações, alguns com vítimas fatais. Sendo retirado então, significaria colocar em risco a vida de pescadores e aquaviários. Vale lembrar, segundo palavras do próprio Capitão-Tenente Henrique Pereira, que a desativação trata-se, por enquanto, de uma possibilidade. Outro fator que vem sendo levado em conta também, segundo apurou o blog, seria a alta despesa com a manutenção. 
Postado por Tadeu Nogueira às 10:43h

Um comentário:

Sociedade Anonymous disse...

Isso séria muito prejudicial aos pescadores de pequenas embarcações, pois no período noturno é o Farol de Trapiá, que vós da auxílio e guia do mar até a costa, e com a desativação do mesmo, irá prejudicar muitos país de família que tira o sustento dos filhos da famosa pescaria.
Creio eu que os faróis citados na matéria a cima devem continuar ativo.
E seria mais apropriado a marinha pergunta aos dependentes do mesmo o que eles iriam acha da desativação dos faróis!.