sábado, 21 de outubro de 2017

O ILUMINADO

No dia 09 de Agosto de 2009, pouco mais de um ano de existência do Blog Camocim Online, publicamos uma crônica até então inédita na internet, intitulada "O Iluminado", de autoria de Inácio Santos, acima de tudo, meu amigo particular, por quem sempre tive estima e admiração. 
À época ele disse que dedicou o texto ao seu pai, Expedito dos Santos. Na última segunda-feira (16), portanto, 8 anos depois do texto, Seu Expedito encontrou a luz eterna. 
Considero essa crônica uma das mais lindas e sinceras que já li em 46 anos de vida. Aos que ainda não conhecem e em homenagem póstuma ao Seu Expedito, republicamos a seguir:  
No ano de 1931, na localidade de Boqueirão (interior de Camocim), nascia o filho do sitiante e agricultor José Inácio dos Santos (Zeca) e Joana Laurindo dos Santos (Janoca), o primogênito de uma prole de 05 irmãos, recebendo por nome de batismo – Expedito Inácio dos Santos.
Homem afeito ao trabalho, de poucas posses, Zeca Inácio tirava o sustento de sua família da roça e da criação de animais: galinhas, patos, porcos, carneiros, etc. Somava-se às suas atividades o comboio. Como naquele tempo não havia condução motorizada, tudo era na tração animal. 
O comboieiro era, na verdade, um mascate, pois levava no lombo de mulas de carga, jumentos, cavalos, etc. grande quantidade de mercadorias de variedades diversas e percorria longas distâncias, vendendo nas feiras das cidades vizinhas, bem como em sítios e logradouros. A troca de produtos também era feitio do comboieiro.
O comboio do Sr. Zeca Inácio percorria a região de Camocim, Granja, até a Serra da Ibiapaba, passando por inúmeras localidades, parando aqui e ali, da saída à chegada, levava em média 15 dias, dependendo das condições de tempo e outros imprevistos no decorrer da viagem.
Logo que o filho primogênito – Expedito – completou idade suficiente para ajudar (sete anos), passou a fazer parte desses comboios, juntamente com o pai e comitiva, não obstante ajudasse também na labuta da roça, no manejo com os animais e até nas noites de pesca de carás, lambaris e curimatãs, no lago do Boqueirão, que ficava praticamente no quintal da casa. Peixe que ajudava a dieta da família.
Leia o texto completo AQUI
Postado por Tadeu Nogueira às 08:37h

Um comentário:

Charles Nunes De Melo disse...

O seu Expedito era realmente uma pessoa espetacular.