domingo, 31 de dezembro de 2017

ADEUS ANO VELHO, FELIZ ANO NOVO!, POR AVELAR SANTOS

No girar interminável da roda do tempo, eis que mais um ano se finda, enquanto o outro já se encontra bem ali, na entrada da barra, trazendo consigo sonhos, alegrias e esperanças.
2017 foi um ano de extremos! No cenário internacional, tivemos o acirramento das tensões entre Washington e Pyongyang, por conta dos mísseis balísticos desenvolvidos pelos norte coreanos, com poder de fogo para dizimar as mais importantes cidades americanas, que quase trouxe um desfecho trágico para a humanidade inteira. 
Ademais, hordas sucessivas de imigrantes oriundos da África e do Oriente Médio, principalmente da Síria, fugindo de guerras fratricidas sem fim, chegaram à Europa, mudando conceitos e estabelecendo uma nova ordem de conduta em muitos países. 
Além disso, a sombra insidiosa do terrorismo se espalhou mundo afora, deixando marcas profundas de destruição, e de medo, notadamente na Alemanha e na França. Ataques cibernéticos sucessivos, supostamente vindos da Rússia e da Coreia do Norte, desarticularam, por todo o globo, uma infinidade de computadores, inclusive aqueles de grande complexidade do Pentágono, causando prejuízos incalculáveis. Por fim, cataclismos varreram impiedosamente o planeta, ceifando milhares de vidas inocentes.
No Brasil, a Operação Lava Jato, comandada brilhantemente pelo Juiz Sérgio Moro, através de suas múltiplas facetas, desnudou por completo altos figurões da República, ratazanas perigosas, hipócritas, pertencentes aos mais diferentes partidos políticos, mostrando a todos nós suas verdadeiras faces, horripilantes, nojentas, escancarando de vez a corrupção inimaginável que grassa há anos nos meandros do poder, particularmente em Brasília, enraizada em todas as suas esferas, que aniquila por completo com a esperança de sermos um dia uma grande Nação. 
Na outra ponta, a violência urbana explodiu, sem que os mecanismos do Estado, por mais que atuem, consigam conter esta onda gigantesca de criminalidade que assola e amedronta os cidadãos de bem pelo país inteiro.
Mas nem só de coisas ruins nos lembraremos de 2017. Houve o incremento das conversações de paz entre árabes e judeus, a fome no continente africano foi aplacada um pouco pela solidariedade de muitos povos, a Ciência apresentou êxitos memoráveis na sua busca incessante de debelar doenças e amenizar o sofrimento de milhões de seres humanos, a Tecnologia tornou o mundo uma aldeia global que cabe cada vez mais na palma da mão.
Que 2018 traga dias de Sol para fazermos os planos mais simples que se possa imaginar, a chuva na varanda para desabrochar a roseira do coração, esperanças e sonhos para que possamos, enfim, tanger a felicidade para mais perto de nós.
Feliz Ano Novo!
Avelar Santos (Professor e Escritor)

Nenhum comentário: