sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

POLICLÍNICA E CEO TAMBÉM FICARÃO SEM VIGILÂNCIA ARMADA

As Unidades de Pronto Atendimento 24 Horas das cidades de Granja e Camocim seguem sem vigilância armada há quase 30 dias. Motivo: A empresa responsável pelo serviço está sem receber há vários meses do Consórcio Público de Saúde, presidido desde março de 2017 pelo Prefeito de Martinópole, Júnior Fontenele. 
Amanhã, segundo informações exclusivas obtidas pelo Camocim Online, o serviço de vigilância também será retirado da Policlínica e do CEO Regional.  A decisão foi tomada após o Consórcio de Saúde não cumprir a promessa de que pagaria até ontem. 
Os vigilantes estariam sendo forçados a trabalhar pelo Consórcio Público, mesmo sem receber, sob a alegação de que todos foram contratados por indicação política e por isso devem esse "favor". A pressão estaria sendo feita por um Diretor que, dizem, manda mais que o Presidente.
Mesmo diante da vasta repercussão na imprensa das dívidas acumuladas perante quase todos os fornecedores, incluindo o de quentinhas, o Presidente do Consórcio continua evitando tocar no assunto. Age como se nada estivesse acontecendo. 
Postado por Tadeu Nogueira às 09:40h

Nenhum comentário: