sábado, 14 de julho de 2018

CASO "VACA LOUCA" MOBILIZA COMUNIDADE, ÓRGÃOS E SURTE RESULTADOS

Um assunto de interesse coletivo, que teve início segunda-feira (09) no Camocim Online, através da matéria intitulada "Afinal, o Que Fazer com a Vaca Louca", chega ao final da semana com uma solução à vista. 
Vale ressaltar a importância da participação de todos que acompanham nosso trabalho, opinando, interagindo, atuando como uma legítima comunidade.  
Como todos sabem e noticiamos, no dia seguinte à matéria, por um desses acasos, Auricélia Santos do Nascimento, de 35 anos de idade, conhecida como "Vaca Louca", voltou a ser manchete no blog. É que ela foi presa por furtar a própria irmã.  Não foi a primeira prisão. Sua ficha é extensa.  
É preciso lembrar que a "Vaca Louca" não passou a ser um problema apenas para a sociedade, com suas ações violentas, ameaças e descontrole, sobretudo na orla de Camocim. Ela passou a ser sua própria inimiga. Esse é um dos "legados" da droga. 
O pleito, não apenas do blog, mas de toda a comunidade, para que o caso chegasse a uma solução, chegou à Ouvidoria da Prefeitura de Camocim. 
De lá passou para a Secretaria de Saúde, que repassou a missão para o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), órgão que já acompanhava Auricélia por meio do Caps, do qual é paciente, mas abandonou o tratamento, voltando a ser dominada pelo vício. 
O Ministério Público, Defensoria Pública e Justiça entraram também no caso. Auricélia foi levada da Cadeia Pública para avaliação psiquiátrica nesta sexta-feira (13). 
O resultado do laudo será utilizado pelo Juiz Washington Frota para decidir seu destino. O mais provável é que ela seja transferida para Fortaleza, onde terá o devido tratamento. Fomos informados que ela chegou a pedir isso. Também soubemos que ela tem um irmão muito presente, preocupado com sua situação. 
Enfim, Camocim não terá a "Vaca Louca" neste final de semana nas ruas. Mas não basta. Se ela for levada para Fortaleza, tenho certeza que Camocim vai querer recebê-la de volta um dia, não mais como "Vaca Louca", mas como Auricélia Santos, mãe de família, filha, irmã e, principalmente, Camocinense. Segue o bonde. 
Postado por Tadeu Nogueira às 09:32h

Um comentário:

maria Araujo disse...

Fico feliz em saber que ela terá o tratamento adequado. Vale ressaltar que assim como ela, infelizmente existem outros em nossa Cidade, que também precisam de ajuda.