quarta-feira, 29 de agosto de 2018

ONDE HÁ FUMAÇA...

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está de olho, não apenas nas chamadas "fake news", mas em todo e qualquer ato que se configure como crime eleitoral. 
Na tentativa ilegal de obter votos, algumas profissões são reconhecidas, até pelos próprios profissionais que as exercem, como as que têm mais chance de obter êxito no assédio, já que elas cuidam diretamente da saúde do eleitor. Uma delas é a de médico. 
A justiça de Pelotas (RS), por exemplo, condenou um perito do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por trocar a emissão de laudos médicos favoráveis aos segurados por votos. Ele deverá perder a função pública, ter direitos políticos suspensos pelo período de quatro anos e pagar multa civil no valor de R$ 10 mil.
De acordo com o Ministério Público Federal, o homem condicionava o resultado da perícia à garantia de votos na eleição. 
O juiz federal disse que ficou comprovada a conduta relatada com base em documentos e depoimentos testemunhais. Ele destacou os pedidos expressos de colaboração, feitos pessoalmente pelo acusado ou via mensagens de celular.
Já na zona norte do estado do Ceará, segundo informações obtidas pelo blog, órgãos federais de fiscalização já teriam recebido denúncias parecidas com as apuradas no município gaúcho, de que pessoas simples estariam sendo forçadas a garantir votos em troca da obtenção de seus direitos como segurados. O crime, além de eleitoral, é federal. 
Postado por Tadeu Nogueira às 09:53h

Nenhum comentário: