quarta-feira, 3 de outubro de 2018

ELE NÃO

Em Camocim, o Vereador Erasmo Gomes, candidato a deputado federal que surfa na onda do Bolsonaro, assim como já fez anteriormente com a do Capitão Wagner Sousa, não pede votos para Romeu Arruda, candidato a deputado estadual do seu chefe político, o ex-prefeito Chico Vaulino. 
Em seu "santinho", a "cola" para estadual aparece em branco. 
Vale lembrar que Erasmo é líder da bancada da oposição no legislativo municipal, por indicação direta de Chico Vaulino. 
Erasmo, que escolheu se juntar ao grupo de Vaulino para conseguir ser eleito em 2016, apesar de já ter declarado publicamente apoio a Romeu, não demonstra isso na hora de pedir votos, expressando assim sua rejeição ao nome do ex-prefeito de Granja. 
Pelo jeito, Erasmo, que costuma falar da necessidade da renovação na política, decidiu não ter mais sua imagem associada a um candidato que representa a velha Oligarquia Arruda, grupo que domina Granja há mais de 50 anos. 
Por outro lado, paradoxalmente, ele segue ligado à oligarquia Vaulino, já que continua sinalizando apoio, assim como fez em 2016, ao nome de Euvaldete Ferro, esposa de Chico Vaulino, para 2020, na sua segunda tentativa de chegar à prefeitura de Camocim. Essa postura é vista com desconfiança por alguns que votaram nele. 
"Como ele pode pregar uma nova política se apoia indicações familiares e oligarquias? No discurso é uma coisa, na prática ele age diferente", disse um ex-correligionário de Erasmo.   
Postado por Tadeu Nogueira às 09:22h

Nenhum comentário: