quarta-feira, 7 de novembro de 2018

E É ASSIM? SOBRE CAIXA 2 DE ONYX, MORO DISSE: "ELE JÁ PEDIU DESCULPAS"

O futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, durante coletiva em Curitiba, demonstrou adotar de flexibilidade em seus critérios sobre a gravidade do uso de caixa 2, dependendo de quem é o protagonista da ação. Questionado por um jornalista sobre como ele se posiciona diante do fato de que Onyx Lorenzoni, escolhido para ser ministro da Casa Civil, é réu confesso dessa atividade ilícita, Moro respondeu: “Ele já admitiu e pediu desculpas”.
A afirmação vai de encontro ao discurso do juiz, sempre se posicionando, pelo menos na retórica, radicalmente contra a corrupção. Em 2017, o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) assumiu ter recebido recursos de caixa 2 da JBS. 
O parlamentar e futuro ministro de Jair Bolsonaro foi citado na delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista, como beneficiário de R$ 100 mil repassados pelo grupo.
Vale recordar que Moro, em 2017, durante palestra realizada na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, enquanto ainda dava as cartas na Operação Lava Jato, o juiz afirmou, de forma contundente: 
Temos que falar a verdade, a Caixa 2 nas eleições é trapaça, é um crime contra a democracia. Corrupção em financiamento de campanha é pior que desvio de recursos para o enriquecimento ilícito”. Parece que o juiz Sérgio Moro não é tão incisivo quando se trata de aliados políticos.
Lá vou eu: Confesso que não acreditei quando vi essa notícia. Aí fui olhar a coletiva. Para meu espanto, confirmei a história. Rapaz, sinceramente...
Postado por Tadeu Nogueira às 10:33h
Com informações da Revista Fórum

3 comentários:

Carlos Evanmar Moreira disse...

Sérgio Moro é a maior farsa jurídica dos últimos tempos. É por causa de gente como ele que o judiciário brasileiro perdeu a credibilidade. Dele e do STF.

Unknown disse...

Que vergonha para nossa justiça. Vindo de um (alto fiscal das leis) brasileira. Vergonha do judiciário. Brasileiro

Unknown disse...

Que vergonha para nossa justiça. Vindo de um (alto fiscal das leis) brasileira. Vergonha do judiciário. Brasileiro