quarta-feira, 24 de abril de 2019

GRANJA: CÂMARA LICITA DIESEL SUFICIENTE PARA 4 VOLTAS NA TERRA

A Câmara de Vereadores de Granja não possui um único veículo próprio, contudo, isso não foi empecilho para que seu presidente, o Vereador Jeová Brito, assinasse, no dia 20 de março deste ano, no auge das enchentes que invadiram casas em vários bairros da cidade, homologação de uma licitação, contratando, da empresa Raimundo Ivan Rocha LTDA, 15 mil litros de óleo diesel, no valor total de R$ 59.850,00. 
O edital diz que o combustível é para atender as atividades do legislativo. 
No mesmo dia, foi homologada a licitação visando o aluguel de uma pick-up cabine dupla, fechada, 4 x 4, para ficar à disposição da câmara, por nada mais, nada menos, que R$ 11.500,00 mensais.  A empresa contratada foi a H.J. Locações de Veículos Ltda, com sede em Granja. Ela foi aberta em dezembro de 2018, período que coincide com a eleição de Jeová Brito para presidência da câmara. O contrato é válido por 10 meses. 
Por esse período, a empresa receberá R$ 115 mil pela locação, quase o valor total de um veículo desse tipo. 
Caso a Câmara de Granja decida utilizar os 15 mil litros de diesel nesta pick-up alugada a peso de ouro e que até agora não foi vista por ninguém e se levarmos em conta que tal veículo percorre 10 km com 1 litro de óleo, a quantidade licitada seria suficiente para dar 4 voltas ao redor da terra. E tudo, locação e combustível, por conta dos Granjenses. 
Postado por Tadeu Nogueira às 09:46h

4 comentários:

Brown disse...

As vezes fico a perguntar para q serve o ministério público em granja com várias irregularidades visíveis no município o MP me parece estar cego.

Zé Maria disse...

Cadê os blogueiros de Camocim que pregam tanto pela moralidade ,não divulgaram essa matéria, mais se fosse em Camocim era dias sendo divulgado .

cAMOcim disse...

E nós que pagamos os salários desses safados pagamos a gasolina mais cara do Ceará!

Dionatan disse...

Se fosse somente em granja!! E no nosso eatado enteiro no país também... se nao fosse tanta corrupção seriamos um país de primeiro mundo