sexta-feira, 12 de julho de 2019

APÓS VERBAS, BOLSONARO DISTRIBUI CARGOS EM TROCA DE VOTOS

Após abrir o cofre para a liberação das emendas parlamentares, o governo começou a efetivar indicados dos congressistas em cargos federais no esforço para concluir a votação da reforma da Previdência na Câmara.
O texto-base da medida passou na quarta (10) por ampla margem —379 deputados a favor, 71 a mais do que o mínimo necessário—, mas as negociações voltaram a emperrar na discussão das propostas de alterações de pontos específicos do texto (os chamados “destaques), que começou no fim da tarde desta quinta-feira (11).
A troca de benesses da máquina pública por apoio no Congresso é uma prática que perpassa todos os governos, mas Jair Bolsonaro havia se comprometido na campanha com o fim desse padrão.
Só de verbas para as emendas parlamentares — que destinam dinheiro para obras e investimentos nos redutos eleitorais dos congressistas—, o governo prometeu uma soma de mais de R$ 5 bilhões para as já previstas e para um lote extra.
Lá vou eu: Ou seja, nada mudou nesse sentido no Brasil. Emendas são liberadas a toque de caixa em trocas de votos em projetos. Depois vem o emprego para indicados dos votantes. Qual a diferença mesmo de outros governos nessa área? 
Postado por Tadeu Nogueira às 07:36h
Com informações da Folha 

5 comentários:

Não disse...

Que vergonha!O jeito de governar nesse país não muda mesmo não hein?

Zé Maria disse...

Para que o Governo fica dizendo que estar fazendo diferente de outros Governos , se é uma prática normal e legal , tinha que dizer: estamos fazendo que os outros fizeram no passado, um pouco de humildade seria muito bom .

Brown disse...

Rapaz só mudou a madame do cabaré.

Anônimo disse...

Seria um ato de ombridade e profissionalismo se explicasse melhor aos leitores as águas que passam de baixo da ponte. Porque se não pode parecer oposição por oposição apenas.

Devido ao Orçamento Impositivo, o governo é obrigado a liberar anualmente os recursos previstos aos senadores e deputados, para serem utilizadas a níveis estaduais e municipais.
A Emenda Constitucional 86/2015 tornou as emendas parlamentares individuais impositivas, portanto independe da vontade do Presidente a sua liberação.

Anônimo disse...

Acho que o problema não é ele, e sim os carniceiros que ficam tentando ir contra o governo..

Bolsonaro está numa mesa rodeada de ratos