domingo, 7 de julho de 2019

OBRIGADO, JOÃO GILBERTO!

Neste sábado (06), após mais um pôr do sol fenomenal na Praia do Maceió, escutei, ao lado de "Dona Chefa", o jovem multi-instrumentista Gabriel Selhorst tocar "Chega de Saudade", de Jobim e Vinicius, eternizada no singular tom de voz e diferenciada batida de violão de João Gilberto.  
Mal sabíamos que essa voz, debilitada ao longo dos últimos anos por problemas de saúde, havia emudecido junto ao ocaso.  
O pai da Bossa Nova, o artista que elevou nossa autoestima, que deu ao país respeito internacional ao mudar a forma de cantar e tocar, que se apresentou sentado em um singelo banquinho no Carnegie Hall, deixando os gringos extasiados, não está mais conosco fisicamente. 
Ele, que sempre teve um mundo para chamar de seu, vivendo de forma reclusa, foi generoso ao extremo com as gerações que primam pela boa música.  
Muitas de suas interpretações, que transcendem o tempo, seguirão encantando brasileiros e estrangeiros. Por causa dele, nunca uma bossa deixará de ser nova.  
João Gilberto nos deixa, "cheios de saudade", aos 88 anos, órfãos de um gênio, mas herdeiros de um legado de valor inestimável.  
Postado por Tadeu Nogueira às 11:26h

2 comentários:

Claudio Vasconcelos disse...

Excelente homenagem.

Ednei disse...

Realmente um estilo de Música que é bom ouvir...
Mais uma voz que se vai, mas deixa seu legado.
Abraço.