quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

"GOVERNO E POLICIAIS TÊM QUE CEDER", DEFENDE CAPITÃO WAGNER

Um dos representantes dos policiais militares na mesa de negociação salarial na semana passada, o deputado federal Capitão Wagner (Pros) defendeu ontem que Governo do Estado e profissionais de segurança precisam ceder para chegar a um acordo em torno do reajuste da categoria, que paralisou atividades na última terça-feira, 18.
"Ambos os lados têm que ter a consciência de que têm que ceder. Os policiais têm que ceder um pouco, o governo tem que ceder um pouco", disse Wagner, no Palácio da Abolição.
Além da reabertura da mesa de negociação, Wagner afirmou que os "representantes (dos PMs) não são mais legítimos para qualquer negociação" e que o "Governo tem que encontrar um outro interlocutor para tentar convencer até onde ele pode chegar", sem dizer quem falaria pelos policiais caso as conversas sejam reiniciadas. O Estado, no entanto, descarta essa possibilidade.
De acordo com Wagner, que chegou a gravar vídeo distribuído nas redes sociais no qual considerava o acordo com o Governo um avanço histórico, "os presidentes de associações de militares tentaram evitar a paralisação, mas a categoria não aceitou" os termos da proposta. Pela tabela, um soldado passará a receber R$ 4,5 mil ao fim de 2022 e um coronel, R$ 20 mil. Leia mais no Jornal O Povo. 
Postado por Tadeu Nogueira às 10:15h

Um comentário:

Zé Maria disse...

Capitão deveria ter se pronunciado muito antes, agora já é tarde , lamentável.