quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

GREVE DA PM: COMPANHIA DE CAMOCIM NÃO ADERIU

Policiais Militares lotados na Companhia de Camocim não aderiram, até o fechamento desta matéria, ao movimento grevista deflagrado pela categoria na tarde desta terça-feira (18). 
A 3ªCIA/3ºBPM, sob o comando do Tenente-Coronel Eduardo de Sousa, leva segurança às cidades de Camocim, Chaval, Barroquinha, Granja e Martinópole. 
A greve está ocorrendo em Juazeiro do Norte, Sobral, Canindé, Itapipoca e parte de Fortaleza. 
Sem líderes ao ser iniciada, a greve dos policiais militares "ressuscitou" o Cabo Sabino, que ficou conhecido pelo movimento grevista de 2011, juntamente com o Capitão Wagner. 
Em 2014, surfando ainda na onda da greve, ele foi eleito deputado federal. Em 2018 não conseguiu a reeleição. 
Sem a presença dessa vez do Capitão Wagner e o enfraquecimento do deputado estadual  Soldado Noélio, duramente criticado pelos policiais por não ter negociado com habilidade com o governo, Cabo Sabino estaria aproveitando a nova oportunidade para tentar voltar à política.  
A escolha do período da greve, às vésperas do carnaval, vem colocando boa parte da população contra o movimento nas redes sociais. 
O carnaval é dos eventos mais violentos e de maior movimentação do estado. A paralisação deverá prejudicar o comércio, o trade turístico e os foliões em geral. 
O Governo do Estado já instaurou Inquérito Policial Militar (IPM) contra 150 policiais envolvidos em atos que configuram crime militar. 
De acordo com o Executivo, os policiais que estão tendo IPM instaurado pelos comandos sofrerão todas as sanções previstas em lei e já serão excluídos da folha de pagamento deste mês. A Constituição Federal proíbe greve de policiais militares. 
Postado por Tadeu Nogueira às 09:18h

Nenhum comentário: