quarta-feira, 19 de agosto de 2020

CAMOCIM: CURVA DA COVID DESCE E PREÇO DO CIMENTO CRESCE

Em junho deste ano, em meio a pior fase da pandemia de Coronavírus em Camocim, noticiamos a alta, junto com os casos da doença, dos preços do cimento e do tijolo. 

Teve quem dissesse que o aumento teria relação direta com diminuição do número de trabalhadores das fábricas do setor da construção civil. 

Passados mais dois meses da pandemia, com números favoráveis e há 27 dias sem óbitos por Covid-19, além do retorno quase que total da capacidade de produção da indústria no estado, os preços seguem em alta.  

O cimento, que era vendido em torno de R$ 22 reais antes da pandemia, pode ser encontrado a R$ 32. Já o milheiro do tijolo, que custava em média, R$ 410, alcançou R$ 700.  

A situação já merece, há algum tempo, o olhar fiscalizador do Ministério Público. 

Por Tadeu Nogueira

Nenhum comentário: