segunda-feira, 5 de outubro de 2020

CÂNCER DE MAMA: POR QUE FAZER EXERCÍCIOS FÍSICOS?

Por Ana Paula Simões
(Médica mestre em ortopedia e traumatologia pela Santa Casa de São Paulo e membro da Sociedade Brasileira de Medicina Esportiva)

Neste mês de outubro, relembramos a importância do combate ao câncer de mama e sempre faço uma correlação com o esporte para vocês entenderem que sim, estão conectados.
Estudos recentes mostraram que permanecer ativo reduz o risco de desenvolver câncer de mama em cerca de 20%;
O risco de recaída também é muito menos provável em mulheres que praticam exercícios e esportes: três horas por semana reduziriam o risco de recorrência em 20%;
Essa taxa sobe para 50% para mulheres que praticam 9 horas de esporte por semana.

E ai? Te convenci a praticar esporte?
O esporte também tem benefícios significativos para pacientes que já foram diagnosticados com câncer:

Os efeitos colaterais do tratamento são mais bem tolerados;
Cansaço e dor podem ser aliviados;
Ajuda a fortalecer as articulações e os músculos e, desta forma, a recuperar a forma física mais rapidamente;
O esporte ajuda a combater o estresse e a ansiedade;
E o mais importante de tudo, o risco de recaída é minimizado.

Quais exercícios?
Lembre-se: o exercício e o esporte devem ser supervisionados. O ideal é que um profissional de educação física ou fisioterapeuta te oriente num primeiro momento, supervisionado pelo seu médico do esporte. Tenha cuidado, você deve ter cautela, pois a imunidade estará alterada e pode mudar seu metabolismo, incluindo força e performance.


Sempre procure organizações especializadas em programas de exercícios para pacientes com câncer. Procure fazer sessões esportivas supervisionadas por médicos com título de especialista e que tenham experiência com pessoas com câncer, em tratamento ou em remissão. Esse suporte também pode ser individual e domiciliar. 

Alguns programas devem ser personalizados com base em sua idade, condição e histórico médico, levando em consideração também seus desejos e objetivos, pois deve ser considerada a individualidade, tipo de cirurgia e tratamento realizado, doenças e morbidades associadas. Isso ocorre porque, a fim de apoiar os pacientes com câncer na recuperação do controle sobre seu corpo, é vital ter uma boa compreensão dos mecanismos da doença e do impacto que o exercício pode ter.
Ótimo mês rosa para todos!
Fonte: Globoesporte

Nenhum comentário: