terça-feira, 3 de novembro de 2020

JUIZ BARRA CANDIDATURA DA NORA DE EUVALDETE

Em Camocim, acatando ação de impugnação do Ministério Público Eleitoral (MPE), o Juiz Thales Sabóia, da 32ª Zona Eleitoral, barrou o registro da candidatura de Iracema Gonçalves à vereadora. 

"O pedido de registro de candidatura não merece acolhimento, considerando que a impugnada não comprovou a efetiva contratação de fornecedores mediante licitação pública, bem como não trouxe aos autos, provas robustas que afastem o caudaloso argumento ministerial, que possa afastar os atos imputados e ainda latentes de improbidade, inclusive certificado nos autos por documento expedido pela 18ª Vara Federal, de processos que a requerente responde por improbidade administrativa", diz o magistrado na decisão.  

Iracema, assim como Euvaldete Ferro e Chico Vaulino, seus sogros, também é ficha-suja. Ela foi condenada por fraudes praticadas durante sua gestão como Secretária de Saúde do Município, no período em que seu sogro era prefeito. Natural de Tauá, essa é sua segunda tentativa de ser candidata em Camocim. Em 2016 ela foi barrada pelo mesmo motivo. 

Iracema também foi responsabilizada, segundo o Tribunal de Contas da União (TCU), por irregularidades que totalizam o prejuízo de R$ 981.256,10 aos cofres municipais. As irregularidades envolvem recursos federais do Fundo Nacional de Saúde, do Ministério da Saúde. 

Além disso, ela deve quase R$ 1.300.00,00 ao município de Camocim. Sua ficha inclui ainda 5 ações de improbidade administrativa. Iracema ainda é acusada  por peculato e falsificação de documento. 

Por Tadeu Nogueira

Nenhum comentário: