terça-feira, 27 de dezembro de 2016

OPOSIÇÃO ACÉFALA E O RISCO DO EFEITO "FONA"

A 5 dias de uma nova legislatura, ainda não há consenso sobre quem deverá assumir a liderança da bancada de oposição da Câmara de Vereadores de Camocim. O grupo, de apenas 5 membros, contra 10 da situação, nunca foi tão divergente, o que vem causando uma explícita divisão interna de pensamentos. O ataque gratuito em tribuna, sem ideias alternativas, inteligentes, já ficou mais que provado que é uma tática ultrapassada. 
Uma das provas está no resultado das urnas de quem vem liderando a bancada até agora. Em 2012, por exemplo, o Vereador Ricardo Vasconcelos (PSD) conseguiu obter 1.180 votos. Nos quatro anos seguintes escolheu, como líder, atacar de forma pessoal a imprensa, quando criticado como parlamentar, e a criticar, sem nexo muitas vezes, toda e qualquer ação do executivo e colegas da situação, sem apresentar requerimentos alternativos para cada discordância. 
O resultado veio nas urnas deste ano. De 1.180, sua votação despencou para apenas 783 votos, uma queda de praticamente 50%, o que fez com que ele fosse o "fona", ou seja, aquele que conseguiu entrar por último na lista dos eleitos. Esse cenário deixa claro que a população cansou da discordância por discordar, da velha picuinha política. Ela quer alternativas para que os problemas da cidade sejam resolvidos de forma eficiente, não importando de que lado elas surjam. 
Postado por Tadeu Nogueira às 07:23h

Um comentário:

mamadoechapado disse...

Mas partindo desse vereadorzinho sem nexo, qualquer idiotice é aceita. Ricardo Vasconcelos: um político ultrapassado, sem noção e semi analfabeto.