quarta-feira, 7 de agosto de 2019

LEI MARIA DA PENHA LIDERA OCORRÊNCIAS EM CAMOCIM

Há exatos 13 anos, quando sancionada, a Lei Maria da Penha foi celebrada como um dispositivo avançado para coibir a violência contra a mulher. 
Embora seja consenso sua eficácia, por outro lado, tópicos centrais não são cumpridos ainda hoje. 
Entre eles, os especialistas apontam o preparo dos policiais, atendimento 24 horas e varas criminais especiais. 
Em Camocim, por exemplo, casos envolvendo violência contra a mulher chegam a liderar com folga as ocorrências registradas na Delegacia Regional de Polícia Civil. Eles só perdem em quantidade, e nem sempre isso ocorre, para o tráfico de drogas. 
Os espancamentos ocorrem geralmente nos finais de semana, principalmente aos domingos. Maridos agridem suas esposas de forma recorrente. Muitas já sabem que vão apanhar ao verem eles bêbados ou drogados. Às vezes até nas duas situações.   
Um dos grandes entraves encontrados pelas vítimas é a ausência de uma Delegacia da Mulher na cidade. Ao lembrar que a Delegacia Regional é um ambiente quase que 100% masculino, a mulher sente vergonha de expor seu sofrimento e assim denunciar seu agressor. Outras evitam denunciar por serem ameaçadas de morte. Há também as que, sem renda, se submetem à violência por não terem para onde ir.    
Postado por Tadeu Nogueira às 16:50h

Um comentário:

Anônimo disse...

Triste realidade.