quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

GRANJA CANCELA CARNAVAL E EXPLICAÇÃO REVOLTA MORADORES

Teria partido de Miami o texto padrão, publicado em vários sites da capital cearense, informando que a Prefeitura de Granja estava cancelando, pelo segundo ano consecutivo, o carnaval da cidade. 
Percebe-se, no teor do texto, a preocupação em deixar claro que a decisão foi motivada pela expectativa das fortes chuvas que cairão nos próximos meses. 
Segundo a nota, "o valor de R$ 1,2 milhão que seria destinado à realização do evento, passará para ações de infraestrutura e de suporte a possíveis famílias desabrigadas". 
No ano passado, para quem não lembra, o cancelamento do carnaval teve a mesma desculpa. De lá para cá, nada ou quase nada foi feito no verão para enfrentar as enchentes que ocorrem desde que Granja existe. De concreto mesmo, segundo alguns moradores, a prefeitura comprou milhares de sacos de areia para tentar conter o transbordamento do rios e lagoas. O fato virou piada à época e agora novamente. 
Em abril de 2019, por exemplo, diante da repercussão negativa sobre a inércia do poder municipal diante das inundações, o deputado Romeu Arruda se apressou em garantir a construção, de forma emergencial, de um dique de proteção. Disse ainda que a verba, de R$ 3 milhões, já estava liberada. O dique nunca saiu das redes sociais do deputado. Recebeu o apelido de "dique vigarista".  
Ainda na nota travestida de matéria jornalística, a prefeita Amanda Arruda diz: 
"Não faz sentido o município gastar com quatro dias de alegria, correndo o risco de testemunhar tragédias no restante do ano”. 
Pois bem, levando em conta essa afirmação, fica a pergunta: Que sentido teve então fazer carnaval desde 2013, início da Era Romeu, em meio às enchentes e tragédias ocorridas? 
De 2013 a 2018, enquanto Granja se acabava em inundações, com famílias sem teto, bandas milionárias tocavam na beira do Rio Coreaú.  
Durante esses anos todos, Granja esteve entre as cidades com mais chuvas do estado. Mesmo assim, nunca, em momento algum, o então prefeito Romeu cogitou cancelar um deles sequer. Segundo dizem, isso acontecia porque o objetivo era fazer sua autopromoção com a folia, usando dinheiro público, para assim garantir a eleição para deputado.  
Confira o que choveu em Granja entre 2013 e 2018 (todos com enchentes): 
2013: 1.096 mm (teve carnaval) - 2014: 863 mm (teve carnaval) - 2015: 1.035 (teve carnaval) - 2016: 1.119 (teve carnaval) - 2017: 1.847 (teve carnaval) - 2018: 2.019 mm (teve carnaval e Granja foi a segunda cidade que mais teve chuvas no Ceará no ano, mas era eleição para deputado). A nota da prefeitura alega ainda que, até a presente data, já choveu 300 milímetros em Granja. Na verdade foram 246 milímetros, segundo a Funceme. 
O curioso é a incoerência: Se 246 milímetros leva uma prefeitura a cancelar um carnaval, o que dizer então de 545 mm? Pois é, foi isso que choveu em janeiro de 2016. E mesmo assim, teve carnaval. A população, principalmente os barraqueiros e lojistas, e aqueles que viram que a desculpa do ano passado é a mesma deste ano, sendo que nada foi feito e será feito contra as enchentes que virão, está mostrando sua revolta nas redes sociais. 
Por outro lado, há quem diga que o deputado Romeu apressou-se em cancelar a folia como forma de desviar o foco das manifestações de solidariedade dos granjenses, contrários à perseguição, feita por ele, contra a vereadora Paloma, a quem ele quer cassar de qualquer forma. 
Postado por Tadeu Nogueira às 11:04h

3 comentários:

José Maria Rodrigues disse...

Quem ganha com isso: o carnaval de Camocim que vai acolher o povo da Graja.

Anônimo disse...

Granja cancela, e Camocim que nada fala faltando pouco mais de um mês pro carnaval, uma festa dessa grandeza tem que ser trabalhada com antecedência e projetos, isso ajuda no crescimento turístico da cidade. Se é pra fazer que faça bem feito.

Viva Cursos disse...

Realmente a situação é bem delicada. Nos Postos de Saúde falta o básico, como dipirona. Eu mesmo, que todo mês recebo 5 tipos de medicamentos, este mês não consegui nenhum deles. Até este simples comentário é passível de perseguição e ameaças. Até mesmo a reportagem divulgada sobre o cancelamento na Tv Verdes Mares utilizou propositalmente imagens do ano passado, ilustrando algo que não é a realidade atual. É uma rede de mentiras complexa e invisível de mentiras.