quarta-feira, 22 de julho de 2020

COVID-19: INDICADORES EM QUEDA NA MACRORREGIÃO DE SOBRAL

A macrorregião de Sobral, no norte do Estado, tem apresentado queda consistente nos indicadores da pandemia. 
São 37.684 casos confirmados e 1.012 óbitos em decorrência da infecção registrados nos 55 municípios que abrange. Entre eles estão os que fazem parte da Microrregião de Camocim (Camocim, Chaval, Barroquinha, Granja e Martinópole).  
A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) é de 72,96%. 
Unidades de saúde na região já mudam o perfil de leitos, que passam a atender outras patologias. 
Os dados são de atualização às 17h42min de ontem, 20, da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). O Ceará contabiliza 147.818 casos de Covid-19 e 7.256 mortes pela doença.
Conforme Regina Carvalho, secretária da Saúde do município de Sobral, é possível observar queda nos indicadores há algumas semanas. 
"Houve crescimento acelerado de novos casos na segunda quinzena de maio e começo de junho. Com o platô, depois foi reduzindo com muita lentidão no final de junho e agora em julho já vemos uma queda considerável", avalia.
No Hospital Regional Norte (HRN), 34 leitos de UTI foram direcionados a outras necessidades. 
O Hospital de Campanha do HRN, com 29 leitos de enfermaria, foi fechado. "A gente tem percebido essa desaceleração também nos outros municípios. Mas Sobral está bem mais evidente", frisa. 
A situação, no entanto, não é homogênea na cidade. "As áreas da sede tem reduzido muito. Alguns distritos ainda têm mantido a procura com sintomas de síndrome gripal", compara.
"Acreditamos que Sobral está se comportando como Fortaleza. Uma descida lenta mas contínua. Mesmo com esses fechamentos de unidades para Covid-19, temos a segurança de manter o indicador de taxas de UTI com menos de 80%", pondera. O Hospital Francisco Alves, com 15 leitos de UTI e 35 de enfermaria, continua exclusivo para Covid-19. 
Postado por Tadeu Nogueira às 07:45h
Com informações da Jornalista Ana Rute Ramires (Jornal O Povo)

Nenhum comentário: