quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

COISA DE RICO! PREÇO DAS ARMAS EXCLUI ASSALARIADOS

No Brasil de quase 50 milhões de assalariados e 12 milhões de desempregados, adquirir uma arma, pagando todas as licenças exigidas, vai ser para poucos. 
Em lojas de armas de São Paulo, proprietários relatam aumento de interesse das pessoas pelo equipamento nas últimas semanas, mas não de venda. 
Dona de uma loja de armas há 30 anos, Vera Ratti acredita que, por enquanto, não haverá mudanças no mercado. Por ser um bem caro, diz, não é tão simples adquiri-lo. Em sua loja, uma pistola custa em média R$ 7 mil. “Não é como geladeira, que você parcela”. O preço de alguns modelos pode passar de R$ 10 mil. 
Wallacy Jacomine, dono de loja em Campos de Goytacazes (RJ), prevê alta de 20% nas vendas. “Não será maior porque não é barato. O perfil do interessado também não deve mudar. São empresários, comerciantes”. 
Lá vou eu: não duvido nada que Bolsonaro lance a "arma popular". Até lá, os pobres mais uma vez serão excluídos. O jeito vai ser apelar para a velha baladeira. 
Postado por Tadeu Nogueira às 09:23h
Com informações adicionais da Exame 

3 comentários:

Adilson Zeferino disse...

E ASSALARIADO QUER TER IPHOHE... VAI ENTENDER

Wro Oliveira disse...

E é obrigado comprar?

Ary Fontenele Batista disse...

Então....